X
nome * enderezo electrónico * enderezo postal concello teléfono * mensaxe *
adxunto
código de seguridade *
imaxe de seguridade
cambiar código
* campos obrigatorios
venres, 18 de agosto de 2017

pesquisar

subscrición

recibirá vía e-mail toda a información de interese
sitios de interese

Anova - Irmandade Nacionalista

14 de xullo de 2012

Web provisoria da ANOVA - Irmandade Nacionalista, constituída o pasado sábado 14 de xullo en Compostela e recollendo logo de 223 anos os ideais de liberdade, fraternidade e igualdade da Revolución Francesa.

ir ao sítio...

SLG

A toxicidade en persoas e fauna das fumigacións aéreas da Xunta

ir ao sítio...

Liga Estudantil Galega

Liga Estudantil Galega

ir ao sítio...

Terceira Carta às Esquerdas

Interesante artigo de Boaventura de Sousa Santos

ir ao sítio...

Mocidade Irmandinha

Grupo de Traballo de Mocidade do EI

ir ao sítio...
ver máis sitios de interese...
PUNTO DE ENCONTRO

O Encontro Irmandiño, polo feito de prestar este espazo, non se fai partícipe dos contidos ou das teses dos traballos remitidos.


Estás no Punto de Encontro do Encontro Irmandiño.


Este espazo na rede é a extensión dunha nosa vontade de abrir portas e canles de comunicación entre as xentes preocupadas, ou que simplemente teñen algo que dicir nalgures, sobre a situacións socio-politica do País, do Mundo, sobre o que está a acontecer...

Envía as teus artigos a puntodeencontro@encontroimandinho.org


O Estado espanhol é o 4º mais desigual da UE

Antom Fente Parada

31/10/2011

 

A II Restauração bourbónica está rematando numa voragem que lembra as condições de conflituosidade social que levaram para a irrupção da ditadura de Primo de Rivera e a posterior queda da monarquia há por volta dum século. Na UE só estados abalados com selvagismo pelo ultraliberalismo após a queda da URSS em 1989 registam níveis semelhantes de disparidade entre ricos e pobres em função dos ingressos. Portanto, é urgente a defesa do estado do bem-estar, hoje mais do que nunca são essas conquistas sociais as que evitam uma autêntica explosão da pobreza, da miséria e uma mais que provável ascensão fulgurante do fascismo.

Continuam a tratar-nos coma a súbditos duns senhores feudais. A economia do Reino de Espanha entrou em recesso virtualmente, por muito que os papagaios Rajoy e Rubalcaba falem de pronta recuperação o pior e mais doloroso da crise está por chegar porque estancou-se todo o sistema-mundo capitalista e porque China pode sofrer implosão se tem que aturar de todo o sistema. O seu 29 particular achega-se-lhe em 2012 e com ele o fim do capitalismo tal e como o conhecimos nos últimos 100 anos. Com o actual modelo é já impossível produzir riqueza e favorecer a acumulação espalhada de capital o que supõe a necessidade de recorrer a uma destruição criativa permanente que nenhuma sociedade pode aguentar a não ser em estado de shock e guerra, ou seja, que se impõe e o darwinismo social e o estado penal.

A pobreza no Estado espanhol, aumenta pelo desemprego récorde recentemente anunciado, a descida continuada dos ordenados enquanto o IPC harmonizado inça em 3%, a redução das despesas sociais... Existem 1'4 milhões de fogares em que todos os membros da unidade familiar estão sem trabalho (um terço dos desempregados da zona euro mora no Estado espanhol segundo a última EPA são já 5.000.000) e 21'8% da população vive por baixo do limiar da pobreza. Os dados que publica El País são muito esclarecedores. O s80/20 coteja o 20% da população com maiores ingressos com o 20% da população sem ingressos praticamente. Pois bem, os novos dados dão uma subida de 0'9% sem antecedente desde que existem registos.

Por trás do Reino de Espanha nestes intres apenas topamos Letónia, Lituânia e a Roménia. Cada ano de "crise" os ricos são-o mais e os pobres fazem-se mais e mais necessitados. Segundo o jornal El País nunca desde que se recolhem os dados a disparidade fora tão elevada, com um coeficiente Gini de 33'9. Curiosamente ao lado do Estado espanhol no rátio 80/20 (6) está o português, por baixo Bulgária (5'9) e logo Grécia (5'8), Itália e o Reino Unido (5'2). A média da UE 27 situa-se em 4'9. Então, com a salvidade da Irlanda os estados intervidos pela troika ou em dificuldades vivem um aumento constante das desigualdades o que acentua que as medidas das ortodoxia ultraliberal nunca poderão reactivar a economia e fazer-nos sair da crise. Só servem para empobrecer-nos e ainda o farão mais quando após as eleições se recapitalize a banca "espanhola", se recebam novos e renovados ataques especulativos, se justifiquem recortes draconianos (que o PP não leva no seu programa) in nomine ZP e finalmente se lhe abra a porta ao FMI para fazer da sociedade espanhola a tábula rasa sonhada por Friedman e os ultraliberais como no Chile de Pinochet.

Todo isto quando diversos inquéritos dim que o PSOE perderá 53 escanos em 22 províncias e o PP em auge, também na Galiza ganhando escanos em todas as províncias agás Lugo. Ontem La Voz de Galicia dava pela sua banda a certeza de que o PP tira a maioria absoluta e para o BNG prognosticava 0'5% do voto, ou seja uma baixada a respeito do 0'8% actual.

voltar arriba

comentarios:


nome:
enderezo electrónico:
comentario:


Envía o teu comentario

Podes enviarnos o teu comentario ao respecto desta información. Evita o uso de ...

E vós?

01/11/2011 Que ofrece o BNG para parar a marea do PSOE e do PP? Iso é o que temos que salientar antes de máis de aquí a novembro. Que ofrece o Encontro de cara a asemblea nacional de xaneiro? E a Galiza? Que lle ofrece a esquerda nacionalista a este cada día máis esgazado país? Saúdos desde Lemos.

E vós?

01/11/2011 Que ofrece o BNG para parar a marea do PSOE e do PP? Iso é o que temos que salientar antes de máis de aquí a novembro. Que ofrece o Encontro de cara a asemblea nacional de xaneiro? E a Galiza? Que lle ofrece a esquerda nacionalista a este cada día máis esgazado país? Saúdos desde Lemos.

Xan

01/11/2011 Cada mes saen novos e máis preocupantes datos, mentras o PP continúa a desfacer Galiza e o PSOE se entrega á orxía dos banqueiros. Neste escenario a xente aposta por máis dereita, máis PP e deixar facer aos "auténticos". Agora que coñecemos o programa do BNG creo que non acertan na fórmula, porque eiquí e agora o que urxe e trascender as fórmulas políticas ás que estamos acostumados e apostar por programas sintéticos e clariños na liña do movemento "indignado". Nese sentido o Encontro Irmandiño acertou coa proposta dun programa de quebra demócratica e que vin hai un tempo nesta mesma web.

©  Encontro Irmandiño, 2011
Apartado de Correos 356  |  15010 A Coruña
aviso legal